Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Direito, gestão e esportes

Direito, gestão e esportes

Por Higor Maffei Bellini    Simplesmente, não sei.   Mas vale a pena discutirmos este ponto, ainda mais em momento em que o câmbio está na casa de R$ 5,00 seja para dólar ou euro. Ou seja, qualquer destas moedas vale cinco reais.    Por exemplo 100 milhões de reais valem aproximadamente 500 milhões de reais.   E aqui começa a nossa discussão.   Se uma multa para transferência internacional é ilimitada, segundo a lei Pelé. Mas para o mercado brasileiro e de (...)

trazendo a realidade do acordão do processo de número: 0010376-30.2021.5.03.0057 para a area despo

  Por Higor Maffei bellini  Infelizmente, ainda hoje, no Brasil os técnicos e demais ocupantes de cargos de direcção em clubes, independente do desporto, pensam que podem xingar e ofender, com palavras de baixo calão, aos atletas. Seja em um treino ou seja em um jogo. Isto quando estes superiores, não fazem,a também errada a aplicação de castigos físicos, se esquecendo que a Constituição Federal impede a aplicação de castigos corporais sob qualquer pretexto.   E ao (...)

Parte 3

Por Higor Maffei Bellini   Olá a todos chegamos a terceira e ultima etapa de textos sobre os preparativos para a viagem a Assunção, Paraguai para assistir o Palmeiras jogar pelas oitavas de finais da copa libertadores. A última parte, a quarta acontecerá, quando eu de lá regressar, o que deve acontecer no sábado 02 Julho de 2022.   Como se tratada de uma viagem internacional, mesmo sendo para um país do mercosul, onde em tese a entrada dos brasileiros é mais fácil é (...)
Por Higor Maffei Bellini    Esta frase é de um dos maiores filmes já feitos, não apenas sobre o velho oeste americano, mas sim sobre a essência da alma humana. Que aqui no Brasil foi chamado de O Homem Que Matou o Facínora ou em sua versão original The Man Who Shot Liberty Valance que foi dirigido pelo mestre JOHN FORD, EUA, já a 50 anos uma vez que foi lançado em 1962. É muito, mais muito, válida no mundo do esporte.   Com o passar do tempo as pessoas que viveram (...)
Por Higor Maffei Bellini   Não tenho a pretensão de esgotar o tema, até porque a matéria ainda será discutida, por longos anos na justiça do trabalho e quem sabe junto ao Supremo Tribunal Federal. Mas, tenho a intenção de fazer a análise da questão segundo a ótica da legislação trabalhista, que vigora no Brasil desde 01 de maio de 1943, quando entrou em vigor a CLT. Uma vez que, parece que as pessoas que lidam com o tema têm esquecido que existe este normativo legal, que (...)
Por Higor Maffei Bellini    A resposta do ponto de vista das palavras, pode ser sim. Mas do ponto de vista prático jamais.   Atleta é aquele que treina constantemente para obter o melhor desempenho fisicos, tático e técnico. Já o jogador é o que não se preocupa em se aperfeiçoar é o que conta com a sua sorte e a sua habilidade para resolver as questões do jogo. Quanto mais o tempo avança menos espaço haverá para os jogadores. Até porque aquele que não treinar não (...)
Por Higor Maffei Bellini   Muitas das criticas que se faz ao futebol feminino, vem do fato deste ser comparado, com o futebol masculino o que é um erro, já que apesar de ser o mesmo esporte, estes deveriam ter critérios distintos de avaliação, em razão das diferenças existentes dentro dos próprios clubes, que mantém as duas equipes a masculina e  a feminina.   Um exemplo desta necessidade de estabelecer critérios distintos é a presença de publico no estádio. Isto (...)
Não sei.   Mas vamos pensar um pouco.  Ao menos nos próximos meses, ou até que venha o tão desejado remédio para a Covid19, talvez tenhamos dentro dos estádios pessoas com medo de manter contato com os outros.   Nada de abraçar, para comemorar o gol, como era comum aqui no Brasil.   Traço emblemático do estádio, dos antigos com arquibancadas onde não importava sua condenação social, você sentava ao lado de qualquer pessoa, que ali também estava.   Vamos ver como (...)
Existem casos de jogadores ameaçados pelos torcedores do seu empregado, sim. E são varios infelizmente.   E o que isso representa n justiça do trabalho, no Brasil?   Se quem faz a ameaça também é socio da equipe, seja ela constituida como uma SAF, uma SAD ou um clube associativo temos o empregador ameaçando fisicamente ou psicologicamente o empregado.   Neste caso teremos a possibilidade da rescisão indireta  do contrato de trabalho com o clube sendo condenado a pagar (...)
O grande problema do modelo de negócios, no futebol, existente no Brasil atualmente é que não traz consequências financeiras para o clube, ou para os dirigentes que contratam jogadores, sem ter o necessário recurso para pagar as despesas com a contratação e com a rescisão deste contrato depois.   Os clubes, todos eles contratam jogadores, por longo prazo, mais de 03 anos achando que vai aparecer algum outro clube, para pagar a multa e levar o atleta antes do término do final do (...)