Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Direito, gestão e esportes

Direito, gestão e esportes

A Tragédia de Heysel não pode ser esquecida pelas nova gerações

Tragédia de Heysel que infelizmente aconteceu antes do jogo final entre as equipes da Juventus e Liverpool, pela final da Copa dos Campões da Europa de 1985, como era chamada a Champions na época, envolvendo a morte de torcedores. Deveria ter deixado lições para todo o mundo do futebol. Em todos os países em todas as épocas. Mas hoje 28 de maio de 2022 parece que se ela deixou lições foi só na memória de pessoas com mais de 40 anos, como eu, e que se preocupam com o tema segurança em eventos esportivos.

Digo isso porque as imagens que estão a correr o mundo, que infelizmente alguns preferem fazer graça, dizendo que os europeus não sabem organizar um evento, ou que era clima de libertadores, de jogos na América do Sul. Ao invés de analisarem que poderia ter acontecido outra tragédia.

Uma massa de pessoas, seja lá qual a razão de sua união, não agem racionalmente. O que faz com que tragédias aconteçam com mais probabilidade em eventos, sejam esportivos ou nao, mas, quando agem com uma multidão/massa.

 

Por isso quem administra/cuida de um evento deste porte deve pensar sempre que pode acontecer o pior, que as pessoas podem chegar todas juntas, ainda mais quando é um jogo fora de casa onde a torcida visitante até por segurança chega em bloco ao estádio.

 

Lembrem sempre que o torcedor que viajou que entrar para ver o jogo, sem da forma que for, até mesmo tentando invadir,  tendo o ingresso ou  não tendo o ingresso, já qur ninguém quer perdero jogo ou chegar ma metade do segundo tempo.

Quem como eu já foi ver jogo em outro estado e outro país sabe que a maneira mais segura de se deslocar é em grupo.

Porque acontecem brigas, sim, acontecem emboscadas,sim. Quem diz que não é porque nunca se deslocou a campo "inimigo" para ver um jogo e tomou pedrada, borrachada (como é chamada no Brasil a ação da policia em usar os cachetetes de borracha na torcida) gás lacrimogéneo.

 

Seja pela violência da torcida adversária, seja porque a polícia não fala o seu idioma e prefere usar a força para separar as torcidas ou a colocar para dentro ou para fora do estádio.

 

Aqueles que cuidam de um evento com grande número de pessoas devem sempre antes testar todas as , devem alinhar com o policiamento o volume de torcedores que geram nas proximidades do local. Mas, acima de tudo devem ter planos de emergência para caso as catracas apresentem falhas, para um grande fluxo de pessoas ao mesmo tempo. 

Mas nunca, jamais Em tempo algum, podem permitir um volume de pessoas tão grande que ao menor sinal de perigo, atuando como uma massa forcem a entrada ou a saída presando as pessoas.

Que as lições do passado sejam aprendidas pela leitura de livros, artigos ou por documentos,, mas nunca pela repetição da tragédia mudando o local, ou as equipes ou a razão do tumulto, para nunca mais acontecerem fatos como aquele.