Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Direito, gestão e esportes

Direito, gestão e esportes

Por Higor Maffei Bellini 

 

Hoje, sexta-feira santa, fui tomar um café, na sede do clube social do qual sou torcedor e sócio. E na roda de conversa levantei a questão da necessidade de um clube saber o seu tamanho em uma competição. Ou seja, saber se vai começar a competição para brigar para ser campeão, para classificar a outra competição ou para não cair.

Será com base nesta honesta análise do "tamanho" do time naquela competição é que se deve fazer o planejamento para a competição.

O equívoco dos clubes de futebol, no Brasil especialmente, é não ter a convicção no que planejou no inicio do trabalho para a temporada e seguir nele até o fim.

É uma brincadeira que é honesta "se tudo der errado vamos ser campeões".

 

A equipe que começa o ano planejando um posição intermediária, contratando jogadores para este fim, tendo o técnico escolhido com esta meta. Até pode ser o campeão, se tudo sair fora do que foi planejado par ele.

Mas o erro de planejamento que queremos falar é a troca de planos, no meio da competição, em razão do que é ventilado na imprensa, nos programas de debate esportivo, onde há críticas ao trabalho da direção que contratou um treinador, que naquele momento não está sendo feliz no resultado, e troca o comando técnico da equipe para diminuir as críticas da imprensa e por consequência da torcida.

Mas se existia a convicção se que aquelas atitudes sériam as melhores para atingir a meta planejada e sabendo que nem sempre as vitórias virão, trocar o comando, demonstra que a equipa não confia no que foi o planejado, para não dizer que nunca existiu o planejamento e que tudo é feito de improviso a medida que os fatos estão acontecendo e mediante  as criticas vindas da impressa 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.