Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Direito, gestão e esportes

Direito, gestão e esportes

Por Higor Maffei Bellini 

 

Entendo que o modelo norte americano, de ligas fechadas, uma vez que, não existe nele a troca de times, integrantes desta liga, pelo descenso ou ascenso. Mas esta maneira de organização, apesar de melhor não será utilizado no Brasil neste projeto de liga nacional de futebol, que se encontra em discussão.

 

No Brasil se exige que exista esta mudança anual e parcial, das equipes que disputam o campeonato em uma divisão, pela subida e descida dos clubes de uma divisão para outra.

 

Nos Estados Unidos o sistema é plano e fechado, todas as equipes e sempre as mesmas, jogam a única competição sem a escalas em divisões. O do Brasil é escalonado,  existem as divisões e aberto porque permite  entrada e a saída de clubes de uma divisão para outras.

 

O sistema utilizado nos Estados Unidos é melhor na medida que torna todos os integrantes sócios do empreendimento liga, criando entre eles que a rivalidade é dentro do campo de jogo e não na administração do negócio esportivo.

 

Explico.

 

Quando as equipes são sempre as mesmas é interesse delas que a liga seja cada vez mais forte, para assim atrair mais investidores, público e renda, que é revertida para o bem de todos.

 

Cria-se o pensamento, correto no meu ponto de vista, que uma equipe para existir precisa das outras. Já que ninguém joga sozinho.

 

Por isso se procura manter-se equilibrada a competição dando a todas as equipes o mesmo tratamento. E possibilitando que as que tiveram os piores desempenhos atléticos tenha as primeiras chances para contratar os novos atletas.

 

Assim, sendo, o modelo vindo do país que é referência em capitalismo demosntra que se não houve uma socialização das oportunidades e um pensamento coletivo, em busca do bem comum da liga, tudo tenderá a um fracasso esportivo.

 

Como demonstra a La Liga da Espanha, onde se sabe que o campeonato ficará entre Real Madri e Barcelona  ou com muito azar deles, com muita vontade de não ganhar naquele ano, com o Atlético de Madri, como demonstram os ultimos campeonatos.