Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Direito, gestão e esportes

Direito, gestão e esportes

Por Higor Maffei Bellini 

Este texto tem a sua origem em uma conversa com uma cliente que está indo jogar em uma nova e distante localidade (não vou dizer qual, para não ser possível identificar, quem é ela) da onde nasceu, cresceu e consolidou a sua carreira.

Falei para ela aproveitar que estava indo para esta nova localidade e provar/exprimentar um determinado prato, que não vou chamar de típico, mas, que é bastante comum. Quando ela me disse que não conhecia o vegetal que dá origem a esse prato.

Ai me veio a necessidade de dizer que os atletas brasileiros que saem da sua região natal, para jogar bola, devem aproveitar para elevar a quantidade de dados em sua biblioteca gastronômica.

 

Não pedindo para rescindir o contrato meses depois de chegar, dizendo que não se adaptou ao lugar, que sente saudades do feijão brasileiro.

 

O atleta é um ser expecial, daqueles que recebe para se mudar, conhecer lugares e culturas, sabendo que ao final retornará a sua região natal, com mais cultura gastronômica do que quando foi.

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.