Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Direito, gestão e esportes

Direito, gestão e esportes

Por Higor Maffei Bellini    Hoje, sexta-feira santa, fui tomar um café, na sede do clube social do qual sou torcedor e sócio. E na roda de conversa levantei a questão da necessidade de um clube saber o seu tamanho em uma competição. Ou seja, saber se vai começar a competição para brigar para ser campeão, para classificar a outra competição ou para não cair. Será com base nesta honesta análise do "tamanho" do time naquela competição é que se deve fazer o planejamento (...)
Por Higor Maffei Bellini  Sim, no Brasil existem equipas que demitem ao técnico já na primeira rodada do campeonato brasileiro. Por incrível que pareça    Tal fato só me mostra que ou a equipe errou em ter usado o técnico na primeira rodada, já que nunca confiou efetivamente naquela proposta de jogo. Ou então errou, simplesmente, porque mudou o seu pensamento em razão se 90 minutos de futebol.   Ou seja errou, seja lá a razão do erro em usar o técnico na primeira rodada. (...)
Por Higor Maffei Bellini    Esta frase é de um dos maiores filmes já feitos, não apenas sobre o velho oeste americano, mas sim sobre a essência da alma humana. Que aqui no Brasil foi chamado de O Homem Que Matou o Facínora ou em sua versão original The Man Who Shot Liberty Valance que foi dirigido pelo mestre JOHN FORD, EUA, já a 50 anos uma vez que foi lançado em 1962. É muito, mais muito, válida no mundo do esporte.   Com o passar do tempo as pessoas que viveram (...)
Por Higor Maffei Bellini  Quem deseja trabalhar com esporte, da melhor forma possível, necessita ter junto uma equipe multinacional com pessoas se várias especialidades para poder examinar as questões sob diversas óticas, para assim achar a melhor solução possível, para aquela questão que surgiu.   O advogado, o gestor esportivo ou o representante do atleta.  Por mais competente que seja,  não tem como tratar de todos os assuntos com a melhor competência possível.  (...)
Por Higor Maffei Bellini    Uma hora acontece, sempre acontece com quem se destaca em determinado seguinte. A pessoa passa a ser confundida com a entidade que representa. Seja de forma profissional, seja de forma amadora.   Para não deixar ninguém chateado vou me utilizar de exemplo. O Higor passa a ser o Higor do Blog direito e gestão.   Quando chegar a este ponto as pessoas quando me vierem, vão me identificar como sendo o próprio blog.   Isso traz grande (...)
Por Higor Maffei Bellini   Não tenho a pretensão de esgotar o tema, até porque a matéria ainda será discutida, por longos anos na justiça do trabalho e quem sabe junto ao Supremo Tribunal Federal. Mas, tenho a intenção de fazer a análise da questão segundo a ótica da legislação trabalhista, que vigora no Brasil desde 01 de maio de 1943, quando entrou em vigor a CLT. Uma vez que, parece que as pessoas que lidam com o tema têm esquecido que existe este normativo legal, que (...)
Por Higor Maffei Bellini    A resposta do ponto de vista das palavras, pode ser sim. Mas do ponto de vista prático jamais.   Atleta é aquele que treina constantemente para obter o melhor desempenho fisicos, tático e técnico. Já o jogador é o que não se preocupa em se aperfeiçoar é o que conta com a sua sorte e a sua habilidade para resolver as questões do jogo. Quanto mais o tempo avança menos espaço haverá para os jogadores. Até porque aquele que não treinar não (...)
Por Higor Marcelo Maffei bellini   Essa onda de clubes empresas que está assolando o Brasil, com a criação pelos clubes de SAF e a venda de até 90% das cotas sociais destas para investidores, em especial, para os clubes que apenas tem (ou tinham) no futebol o seu único bem de valor está acabando com os clubes que deixarão de existir por terem perdido a sua única razão de ser, de existir.   O clube social, aquele aqui entendido como a associação de natureza civil, que (...)
Por Higor Maffei Bellini Antes de mais nada o que mudo é que os estadios/arenas volataram a ter uma maior importância para o time, que é o mandante da partida. Não só porque os jogadores sabem se localizar espacialmente no estadio, tendo como referência geografica as placas de publicdade, ou a sombra que se joga de dia em um local já conhecido.   A presença de publico, agora está liberada em sua capacidade plena, ao menos no estado de São Paulo. Ou seja voltamos ao que era (...)